in

O papel de Alex Justino na visível evolução do techno em Goiânia

O papel de Alex Justino na visível evolução do techno em Goiânia

O papel de Alex Justino na visível evolução do techno em Goiânia

O artista é o pioneiro em inserir a cultura Techno no Centro-Oeste.

por Maria Angélica Parmigiani

Quando, além de ouvir faixas, sets e frequentar festas dos estilos que apreciamos, passamos a pesquisar e nos aprofundar em conhecimento musical não demora muito tempo para se cair no termo “pioneirismo”. Na música eletrônica é muito comum ouvir nomes que foram peça-chave no início de um movimento que marcou essa história, personagens que, por exemplo, iniciaram o House e o Techno em seus berços ou começaram os processos de ramificações dos estilos.

Enfim, se você está nessa pegada de explorar a música eletrônica e seus movimentos aqui no Brasil, você muito provavelmente já caiu no nome: Alex Justino, pioneiro em inserir a cultura Techno no Centro-Oeste. Já se falou muito isso, mas vale repetir: quando você pensa nessa região do país e música, com certeza o Techno não seria uma opção, seja pela herança cultural voltada para o sertanejo, ou pelo simples fato que ainda temos a crença que o eletrônico não saiu do eixo Sul-Sudeste.
Alex Justino - Shadow [Nin92wo]
Pois bem, saiu há tempos, mas demorou muito mais para ganhar força e são nomes como o de Alex que contribuem de maneira ativa à fomentar isso cada vez mais, criando oportunidades a novos nomes, lapidando-os e expandindo a ideia, seja em produções com um desempenho exemplar ou então projetos que prezam pela qualidade sonora, seja em estúdio ou festa.

O goiano está envolvido com música há mais de uma década e através de foco, originalidade e persistência, ele começou a mudar a cultura musical da região e conquistar espaço no mercado nacional e internacional. Além de suas produções em selos como Warung Recordings, D-EDGE Records e a gringa Steyoyoke Black onde lançou seu EP com maior reconhecimento, Antilophia, possuiu seu próprio live act, onde pode colocar ainda mais personalidade na hora de tocar.

Alex é também o headlabel de um dos selos com maior representatividade no gênero aqui, a Nin92wo, que não se limita apenas a essa atuação. A label também atua com duas festas em Goiânia: a Shadow (2017) voltada essencialmente para o Techno, com dezenas de eventos realizados até aqui, e a Lost and Found (2016), focada em uma experiência mais ampla, trazendo sonoridades mais complexas e artistas mais expressivos da cena nacional.
Wehbba e Marcal na Lost and Found 1
A previsão é que ainda neste ano aconteçam pelo menos mais 10 eventos, intercalando entre Shadow e Lost & Found. Alex também está focado no seu trabalho de estúdio e já tem diversas faixas finalizadas, a pretensão é lançar mais de 5 EPs ao longo do ano para consolidar ainda mais seu perfil dentro do techno.


Veja mais em DJMag

Um novo nome do techno ascende em Curitiba: Bervon

DubVision e Alesso lançam “One Last Time”