in

Mau Maioli lança clipe oficial de sua faixa ‘Twenty Three’ – Features

Entregar trabalhos profundos, criativos, com significados, bem lapidados e que se conectem com as pessoas parecem ser os principais pilares que sustentam o talento do gaúcho Mau Maioli.

O DJ e produtor natural de Farroupilha/RS tem como base a pesquisa por ambiências orgânicas na busca de sua própria sonoridade, mas nos últimos meses ele vem se redescobrindo e experimentando novos terrenos na música.

Um de seus releases mais recentes é a faixa ‘Twenty Three’, lançada em novembro do ano passado no dia de seu aniversário, de forma independente.

Mau Maioli tem se encontrado cada vez mais dentro da música e o resultado tem sido produções que carregam 100% de sua alma criativa.

Por tudo o que ela representa ao artista, ‘Twenty Three’ acabou ganhando um clipe que saiu nesta quarta-feira (11), com captação e edição de Marlon Peres:

Ele nos deu uma palavrinha e contou um pouco mais sobre o significado da música, história que envolve o vídeo e outros aspectos de sua carreira.

Sabemos que “Twenty Three” tem um significado especial por marcar um novo ciclo na sua vida e também por guiar uma mudança da sua estética sonora. O que mais ela representa para você?

Mau Maioli: E aí, muito obrigado pelo convite!

A Twenty Three é uma das músicas que me despertou várias ideias durante o processo de criação, e que essas mesmas ideias comecei a utilizar em novas produções.

Além disso, foi nela que eu consegui trazer meu amadurecimento técnico e também de unir tudo que ouço e gosto. Certamente ela foi essencial nessa minha nova caminhada.

Esses fatores foram determinantes para a criação de um clipe? O que mais te incentivou/motivou a produzir um vídeo dela? Foi a primeira vez que você fez algo desse tipo?

Sim, creio que esse amadurecimento e essas referências foram importantes para que eu também pensasse no clipe. Afinal o que eu ouço e vejo lembra muito o vídeo.

E sobre incentivo e motivo de fazer, creio que vá de encontro com essa importância que a essa música tem pra mim e também com minha vontade de criar conteúdo audiovisual, e obviamente por ser um consumidor nato de filmes, séries (o que ajudou bastante na hora da criação).

Quais foram os insights que você teve para criar a história? Em geral, de onde suas ideias surgem?

A ideia do vídeo em si teve um objetivo principal: renascimento.

A música significa isso, inclusive pelo nome (meus 23 anos), que tiveram essa mudança e que eu busquei trazer para o clipe também a ideia principal.

Sobre insights, comentei antes que acabo consumindo muitos filmes, séries, documentários e tudo que eu achar interessante (quando eu digo tudo, pode ser tudo mesmo), e nos últimos anos eu tive um momento de ver e absorver muito do que foi lançado nas décadas de 70 e 80, então culminou bastante em tentar trazer essa ideia para o clipe.

Existe alguma mensagem específica que você buscou passar com o clipe ou a abordagem é de livre interpretação?

Sim, a história se passa por um renascimento, e o personagem ao renascer começa a procurar um sentido para vida dele andando por vários lugares, buscando referências e objetos que acabam fazendo parte da sua evolução (no vídeo é mostrado o gravador e o disco que me deu a ideia da música).

Termina entrando em um novo lugar (que é o momento que eu estou vivendo agora).

Em meia a tantos lançamentos vazios que caem no esquecimento, você acredita que um material desse tipo ajuda a “eternizar” ainda mais uma criação?

Acredito (e quero) que seja exatamente isso que aconteça.

Nesse meu processo de amadurecimento me trouxe também essa vontade de fazer músicas que eu realmente goste e que as pessoas também curtam, ouçam, deixem no repeat e compartilhem.

Afinal, se não tiver essa combinação de criar o que eu gosto e me conectar com as pessoas através do meu trabalho, nada vai fazer sentido pra mim.

Você é daqueles que se diverte muito com o que faz, imagino que música seja muito mais do que um trabalho para você. Quais artistas te inspiram nesse sentido?

Realmente, eu vivi um período meio perturbador relacionado a criação.

Não estava mais contente com o que estava fazendo, achava ser muito mais do mesmo e por esse mesmo motivo também já não me divertia tanto.

Fiquei um tempo sem lançar músicas e foi aí que voltei a me inspirar em artistas que já ouvia e também em conhecer outros (confesso que a maioria não tem nem uma ideia de som parecida com o que eu faço, mas são artistas que me inspiram).

Foi aí que eu voltei a me divertir muito com música (que é o que eu mais faço durante meus dias).

Para citar alguns: Four Tet (sou muito fã de toda sua criatividade), Bicep, Bawrut, Panthera Krause, Zombies In Miami, WhoMadeWho, Soulwax e Maribou State.

São os que mais ouço, toco e busco saber o que estão fazendo.

Por fim, o que está para pintar de novidade na carreira de Mau Maioli? Obrigado e parabéns pelo clipe!

Então, nesses próximos 3 meses tenho gigs bastante importantes.

Algumas estreias marcadas (praticamente todas próximas apresentações vão ser de estreias), além de ir pela primeira vez para Cuiabá no Mato Grosso, tenho alguns lançamentos agendados e também vou ministrar o Curso de Mixagem Básica em outra cidade do Rio Grande do Sul, o que também vai ser um novo desafio.

Muito obrigado pela conversa, gostei muito do convite, valeu!


Veja mais em Mixmag

BBB20: Família de Marcela intervém após falas polêmicas da sister na casa

BBB20: Guilherme quer de volta corrente que Victor Hugo pegou de Gabi