in

Entrevistamos Cour T., uma surpresa do cenário brasileiro

Entrevistamos Cour T., uma surpresa do cenário brasileiro

Entrevistamos Cour T., uma surpresa do cenário brasileiro

Com apenas 16 anos, o artista já possui um EP assinado pela label Dirtybird.

via Assessoria de Imprensa

Não é qualquer produtor musical que, com apenas 16 anos, já tem um EP assinado por um label renomada e prestigiada mundialmente como a Dirtybird, concorda? Mas foi exatamente isso que aconteceu com Cour T., curitibano que fez Claude VonStroke virar a cabeça para suas tracks. No momento são três EPs lançados pelo selo americano, o mais novo na última sexta (07), intitulado Drum Machine.

Além do destaque na label, Cour T. também está escalado para o primeiro evento da Dirtybird Players no Brasil, que ocorre dias 13 e 14 de março, em Curitiba e São Paulo respectivamente. Um pouco dessa história está contada abaixo pelas palavras do próprio artista, em mais uma entrevista exclusiva para a DJ Mag:
DJ MAG BRASIL: Olá, Cour T. Tudo bem? Obrigado por topar essa entrevista. O que motivou você a acreditar em uma carreira artística na música? Quando de fato você tomou essa decisão e decidiu tornar-se DJ/produtor?
Cour T.: Olá! Primeiramente gostaria de dizer que é uma honra estar participando dessa entrevista com vocês. Vamos lá… eu sempre tive curiosidade em como funcionam as coisas em geral e como são criadas. Quando tinha uns 12 anos tive o primeiro contato com a música eletrônica através do meu irmão mais velho, desde então fiquei fissurado naquilo.

Algum tempo depois um amigo do colégio me mostrou o mundo da produção musical e me apresentou a Yellow DJ Academy, local onde ele tinha feito um curso na época. Resolvi fazer discotecagem e produção lá também. De início era para apenas conhecer um pouco mais sobre tal universo, mas no meio disso tudo acabei me apaixonando totalmente pela música e decidi que queria levar adiante como uma carreira profissional.
DJ MAG BRASIL: Bandas e projetos musicais são sempre grandes responsáveis na formação de uma identidade artística. No seu caso, sabemos que o leque de referências sempre foi muito diverso. Quais são os principais nomes que você poderia citar aqui?
Cour T.: Posso citar nomes do RAP nacional e internacional como Black Alien, Hot & Oreia, Eric B e Hakim. Artistas do cenário eletrônico como o boss Claude Vonstroke e o grupo Kraftwerk. Resumindo, eu tenho como base tudo que é diferente do comum, considerado muitas vezes estranhos [risos].

DJ MAG BRASIL: E quais são os artistas que você se espelha?
Cour T.: Gosto muito das sonoridades do Holt 88, Bruno Furlan e do VonStroke, são caras que me inspiram a todo momento
DJ MAG BRASIL: Você ainda é muito jovem, com apenas 17 anos, mas já soma grandes conquistas, incluindo lançamentos da Dirtybird e suportes de peso de alguns artistas do selo americano. A linha sonora exótica e criativa da DB sempre foi uma referência para você?
Cour T.: Sem dúvidas, por trazer muitas vezes algo inovador pro cenário da música eletrônica meus maiores ídolos estão dentro da label.
DJ MAG BRASIL: Dos seus lançamentos até aqui, existe algum que reflita bem a sua identidade? Algum é seu preferido?
Cour T.: Eu acho que todas as faixas que crio refletem a minha identidade musical, mas confesso que tenho uma quedinha no meu primeiro EP na Dirtybird, o Black Magic, produzida em março do ano passado. Talvez seja por ter sido a primeira faixa a ser finalizada 100% e meu primeiro release em uma gravadora…

DJ MAG BRASIL: Você está confirmado também para o evento da Dirtybird Players que vai rolar no Brasil, além também de uma nova turnê pelos Estados Unidos no Movement Detroit. O que representa isso para você?
Cour T.: Reconhecimento! Fico muito feliz por tudo vem acontecendo. Não há nada melhor que saber que seu trabalho e esforço está sendo reconhecido, ainda mas em grandes festivais dentro e fora do Brasil. Posso dizer que são grandes sonhos que estão se realizando pouco a pouco.
DJ MAG BRASIL: Entre grandes festivais ou clubs, você tem preferência por algum tipo de atmosfera?
Cour T.: Pela experiência que tive recentemente no Dirtybird Campout em 2019, eu acho que os festivais tem uma vibe diferente, a energia é algo surreal. Fico com eles.
02
DJ MAG BRASIL: No início do ano você integrou o time da Next Management. Como tem sido o trabalho em conjunto com a equipe e quais os melhores resultados que um artista ligado à uma agência pode tirar?
Cour T.: Os nossos resultados estão sendo os melhores possíveis, trabalhar com a equipe da Next é uma grande oportunidade que tive, uma forma diferente de trabalhar mais inteligente e estratégica. No meu ponto de vista as agências estão para somar ainda mais na carreiras artísticas. Chega um certo ponto que é realmente necessário e fundamental uma produção junto ao artista para alcançar os objetivos desejados para o projeto.
DJ MAG BRASIL: Por fim, novidades encaminhadas para 2020? O que já pode ser adiantado pra gente? Obrigado!
Cour T.: Teremos muitas tracks novas! Estou trabalhando constantemente nesses lançamentos e estou no começo de meu primeiro álbum, ainda não tenho certeza se lançarei esse ano, mas já está bem encaminhado. E, claro, não deixem de conferir meu último release na Dirtybird, o EP Drum Machine. Muito Obrigado!


Veja mais em DJMag

Como nasceu a ARCA, espaço multieventos que receberá a Afterlife em Março – News

Noah Centineo comenta uso de drogas no passado: “Eu estava muito triste”