in

Nomes da música eletrônica que você precisa conhecer: Pretty Pink (Alemanha) – Features

Criada nas mais densas e obscuras florestas da Alemanha, Anne Karolczak aka Pretty Pink, criou seu próprio caminho rumo aos clubs e festivais internacionais.

Capaz de agitar desde raves mais intimistas até palcos de grandes festivais, Pretty Pink faz parte de um grupo de DJs que têm a habilidade de trabalhar nos mais diversos cenários da música eletrônica.

Suas performances únicas vem conquistando um grande número de seguidores pela Europa e continuam a ampliar os horizontes da dance music.

Pretty Pink jamais se esquiva de desafios. A artista continua crescendo diariamente, evoluindo sua carreira e sua música.

Conversamos com ela para saber mais… Confira abaixo!

Como tudo começou para a Pretty Pink?

Eu cresci em meio a natureza, no meio da Alemanha, em Mountain Valley.

Sempre fui uma criança criativa, fazendo artes, praticando esportes, fazendo música.

Em nossa região, aconteciam muitas festas de techno underground em uma caverna antiga.

A música eletrônica tem uma longa tradição na Alemanha, eu cresci com ela, a Love Parade, sem falar nos grandes DJs dos anos 90, que me inspiraram muito.

Meu começo como DJ foi meio inusitado. Eu trabalhava com artes para eventos e clubs e tudo rolou quase que por acaso.

Um DJ faltou em um desses clubs e eles me pediram para ajudar. Então eu mergulhei de cabeça na parada!

Coloquei alguns discos de vinil que eles me deram na mochila e fui… e imediatamente amei o que estava fazendo!

Eu sou uma pessoa muito perfeccionista, então comecei a assistir outros DJs e me ensinei a tocar discos de vinil – fui praticando, praticando, praticando!

Isso foi há 13 anos!

O que na música eletrônica foi tão atraente para você quando ainda era tão jovem?

A maior inspiração para mim foi a variedade da música, existem tantos bons músicos com estilos diferentes, então, a princípio, eu gostava de Indie Pop como Nirvana, Placebo, Goo Goo Dolls e Depeche Mode… por isso remixei muitas disso tudo em minha música eletrônica. Fiz várias edits próprias para tocá-las em meus shows ao vivo.

Os anos 90 e 80 com o pop eletrônico tambem me inspiraram muito, é por isso que produzi minhas novas faixas ‘Move it’ e ‘Rider’ – uma combinação do makeup de Real to Real – eu gosto de Move it e do Nightrider Theme.

Durante o tempo em que fui DJ e conheci muitas pessoas interessantes e uma grande inspiração para mim é o Kölsch, ele é um DJ de Hamburgo que toca Techno e Melodic House.

Para resumir, posso dizer que existem diferentes estilos de música e músicos que me influenciam – acho muito importante ser uma pessoa de mente aberta para música, para assim poder encontrar o meu próprio gosto.

O que você mais curte nas turnês e na produção?

Nas turnês, eu amo muito conhecer novos lugares, pessoas e experiências diferentes e especiais.

Toda vez que vou a algum lugar, há uma nova situação, por isso a coisa nunca fica entediante. E as pessoas são muito legais com você enquanto viaja!

Quando chega ao palco, sempre rola uma nova história que eu possa levar às pessoas de minha jornada musical.

Portanto, é muito importante fazer produções próprias, que sempre me excito quando chego a um novo local, um club ou festival, ver como a multidão reage com minha própria música.

É muito diferente do que apenas tocar faixas de outras pessoas, é muito mais intenso.

Você poderia nos contar sobre o seu novo lançamento, Fairytale e a inspiração por trás dele?

Meu último EP do Fairytale é uma homenagem pessoal aos meus fãs, promoters, gravadoras e amigos com quem trabalhei até 2019 – foi como um verdadeiro conto de fadas!

É um lançamento com três faixas que eterniza este ano e momentos como perfeitos.

A faixa-título do EP ‘Fairytale’ começou sem grandes aspirações mas rapidamente ganhou vida própria e se tornou uma favorita dos fãs sempre que eu toco para uma pista.

Uma melodia pesada com progressão de alta intensidade que literalmente decola em todos os palcos.

“Falling’ promova mudança no estado emocional com sua bassline pulsante, “Estou caindo por seu amor” (I’m falling for your love) é minha mensagem e ela leva a multidão a uma dimensão totalmente diferente.

A faixa de encerramento, ‘Let It Go’, vem com um tambor marcante, basslines e grooves que combinam perfeitamente na pista de dança!

A faixa leva o EP a um perfeito climax. ‘Let It Go’, ‘Coming’, ‘Going’. O final perfeito para o ano que passou.

Next Page »


Veja mais em Mixmag

Faça seus próprios discos de vinil em casa com esse novo aparelho – Tech News

9 fotos do lendário nightclub alemão Berghain – Blog