in

BBB20: por que “perdoamos” Prior e não perdoamos Bianca

Brasil mostra, mais uma vez, que é um ótimo lugar para errar e aprender — se você for homem

Recentemente, escrevi aqui no site da CAPRICHO um texto sobre como, EM ALGUNS MOMENTOS, fica muito difícil odiar Prior no BBB20. Não dá para negar que o cara tem carisma, se diverte (e diverte a gente) nas festas e se posiciona no Jogo da Discórdia e em outras situações em que outros nem ao menos tentam. Mas, o que parece não ter ficado claro é que eu NÃO acho que ele merece ganhar o programa. Ainda mais com tantas mulheres maravilhosas na casa, né?

Aproveitando que este blog é um espaço opinativo, nunca escondi que minha torcida era/é principalmente de Bianca Andrade e Manu Gavassi. Só que a reflexão que quero propor hoje não tem nada a ver com as minhas preferências pessoais, e sim com o que é certo: afinal, o que a Bia fez para levar mais da metade de 132 milhões de votos em um paredão com Prior e Flayslane?

O ranço do público por polêmicas antigas e o fato de ela não ter ficado 100% ao lado das mulheres na treta com os chernoboys são as respostas mais fáceis. Porém, sem citar nomes ou exemplos específicos, quantas vezes você já viu homens com mais de 25/30 anos serem tratados como meninos quando cometem erros enquanto meninas/garotas com menos de 15 anos são julgadas porque “já são bem grandinhas e sabem o que estão fazendo”? Percebe como a sociedade ainda é mais cruel com a mulher?

Se Bianca errou (e errou), foi tentando acertar, fato. Ela não tinha acesso às informações que a gente aqui de fora tem. E, mesmo quando Daniel e Ivy chegaram da Casa de Vidro, deveria ser compreensível uma pessoa dar o benefício da dúvida a alguém próximo quando não há provas concretas de que esse alguém errou.

Fora que a Bia já afirmou que seu pai tem um jeito muito parecido com o de Hadson e que seu irmão “é um anjo”. Ou seja, ainda segundo o que foi dito pela própria no Big Brother Brasil e em entrevistas, ela acredita que nunca lidou tão de perto com o machismo e meio que naturaliza certas atitudes que não passam para quem tem mais informação sobre o assunto. Preciso lembrar que ninguém nasceu sabendo?

Prior, por outro lado, age de caso pensado e não parece disposto a mudar. Ele aponta o dedo na cara de mulheres, grita com a mãe, acha correto criar situações para queimar umas e favorecer outros (no caso, seus ~capangas~)… Enfim, merecia, sim, ter sido eliminado. Espero que algum dia, dentro e fora do BBB, a gente aprenda a ser mais tolerante com as mulheres e a tomar melhores decisões em casos como esse.

P.S. A festa dessa quarta-feira (26) gerou o total de zero conteúdo sem Bianca/Jennifer. Parabéns aos envolvidos.

Veja mais em Caprixo

Por novo álbum, Chainsmokers anunciam afastamento das redes

Creamfields libera lineup completo e divisão por palcos e datas