[Alerta de conteúdo sensível] Uma mulher de 25 anos foi vítima do crime de importunação sexual dentro do elevador de um prédio comercial em Fortaleza. Segundo um comunicado emitido pela equipe jurídica da vítima nesta segunda-feira (18), o caso ocorreu no dia 15 de fevereiro.

A vítima, que é nutricionista, havia encerrado seu expediente de trabalho quando entrou no elevador. Em seguida, o homem também adentrou no local. Quando a mulher estava saindo, ele apalpou as nádegas dela e desceu até o estacionamento. Câmeras de segurança registraram o momento em que o crime ocorreu. Assista:

A mulher compartilhou a situação nas redes sociais. “Quando aconteceu, fiquei em choque, sem acreditar. Xinguei, chutei o elevador na porta de fora, chorei, senti raiva, me senti impotente. Eu estava em um prédio comercial, com várias câmeras, mas isso não bastou pra esse maníaco. E isso é o que acontece todos os dias, se não pior, com várias mulheres por aí”, escreveu no relato.

Em nota, os advogados informaram que a jovem foi “amparada por um colaborador do prédio comercial, que contribuiu na identificação do agressor”. Ao g1, ela fez uma declaração por meio dos representantes. “Ressalto que, em nome de tantas outras mulheres que são, diariamente, vítimas de situações como essas, não quero (e nem vou) deixar essa situação impune. Por isso, todas as medidas judiciais (cíveis e criminais) já estão sendo tomadas para que esse indivíduo não fique impune e que, consequentemente, seja feita justiça!“, dizia o comunicado.

De acordo com a Polícia Civil do Estado do Ceará, o caso está sendo investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza, que está realizando diligências sobre a denúncia.

Ainda hoje, o homem foi afastado da companhia onde trabalhava. A empresa M7 Investimentos, afirmou, em nota, que, “sem prejuízo do exercício do seu direito de defesa junto às instâncias competentes”, ele foi “afastado de suas atividades na empresa, de imediato e em definitivo”.

Continua depois da Publicidade

Conforme a M7 Investimentos, o acusado trabalhava como agente autônomo de investimentos. A organização ainda disse que só tomou conhecimento do caso nesta segunda, após o vídeo que registrou o episódio viralizar nas redes sociais. Confira a nota na íntegra:



Siga a Hugo Gloss no Google News e acompanhe nossos destaques



Veja mais em HugoGloss

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *