Um avião Boeing 737 MAX 9, da Alaska Airlines, foi forçado a fazer um pouso de emergência, na sexta-feira (5), em Portland, nos Estados Unidos, depois que uma parte da fuselagem se soltou no ar, criando um buraco e sugando pertences dos passageiros.

O voo comercial 1282 saiu do Aeroporto Internacional de Portland, em Oregon, por volta das 17h, com destino a Ontário, na Califórnia, mas teve que dar meia-volta rapidamente após o estouro da janela. Segundo o TMZ, o caos se instalou no momento em que as máscaras de oxigênio caíram sobre os 171 viajantes, e ventos semelhantes a tornados se espalharam pela cabine.

A Administração Federal de Aviação dos EUA comunicou, em nota ao veículo, que o incidente causou um “problema de pressurização” e, por isso, o avião precisou retornar ao aeroporto de onde havia saído. Segundo o The New York Times, os passageiros informaram que uma peça da fuselagem também explodiu no ar.

Vi Nguyen, de 22 anos, que estava no voo, relatou ao The New York Times que acordou com um barulho alto e viu um grande buraco na parte esquerda do avião. “Abri os olhos e a primeira coisa que vi foi a máscara de oxigênio bem na minha frente. Eu olhei para a esquerda e a parte lateral do avião havia desaparecido. A primeira coisa que pensei foi: ‘Vou morrer’“, disse a jovem. Elizabeth Le, de 20 anos, amiga de Nguyen, revelou que estava a cerca de duas ou três fileiras de distância do local, e que ninguém estava sentado no assento da janela que explodiu.

No entanto, ela explicou que um adolescente e sua mãe estavam nas poltronas do meio e do corredor, e que o garoto parecia ter perdido a camisa e sua pele aparentava estar lesionada. “Foi honestamente horrível. Eu quase surtei, mas percebi que precisava manter a calma“, relembrou.

Continua depois da Publicidade

Em poucas horas, a companhia aérea paralisou 65 aeronaves Boeing 737 MAX 9, que representam cerca de um quinto de sua frota. Em nota, o CEO da Alaska Airlines, Ben Minicucci, pediu desculpas aos viajantes do voo e confirmou que o Conselho Nacional de Segurança nos Transportes está liderando uma investigação sobre o que causou o incidente.

A aeronave pousou com segurança e apenas um comissário sofreu ferimentos leves. Das 171 pessoas que estavam em seus assentos e seis tripulantes, ninguém ficou gravemente ferido. Após o pouso, os passageiros embarcaram para Ontário em outro avião. A empresa esclareceu ainda, em comunicado ao jornal, que espera concluir as inspeções e manutenções completas, como medida de precaução, dentro de alguns dias. Durante os 15 minutos de volta, os viajantes gravaram vídeos da experiência e compartilharam nas redes sociais. Assista:

Siga a Hugo Gloss no Google News e acompanhe nossos destaques



Veja mais em HugoGloss

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *