A herança deixada por Chico Anysio foi revelada. No “Domingo Espetacular“, da Record TV, deste fim de semana (6), o testamento do humorista foi detalhado e a divisão entre os filhos e a viúva de Chico, Malga di Paula, foi explicada. De acordo com o programa, o artista possuía bens materiais, assim como dívidas milionárias que podem comprometer os herdeiros.

Segundo o documento apresentado pelo dominical, Anysio deixou um apartamento na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, avaliado em R$ 4 milhões, três salas comerciais no mesmo bairro e seis carros. O artista escreveu músicas, peças de teatro e roteiros de cinema. No testamento, ele também cita obras inéditas, como livros a serem editados, que deixou para Bruno Mazzeo e Ricardo de Paula. Já Nizo Neto ficou com roteiros de rádios e CDs.

No entanto, o artista acumulou dívidas que aumentam a cada ano, fazendo com que os herdeiros corram o risco de perder o patrimônio se os valores não forem pagos. Em um shopping onde Chico mantinha as salas, os impostos ficaram oito anos em atraso somando uma dívida de R$ 1.4 milhão. Bruno, que é inventário do testamento, conseguiu negociar os débitos. O ator também está pedindo autorização da Justiça para vender o apartamento do pai para quitar outras cobranças. No primeiro levantamento feito logo após a morte de Anysio em 2012, só de imposto de renda a dívida chegava a R$ 2.4 milhões. Assista:

Testamento anulado

Em 2020, o documento foi anulado pela Justiça porque Chico Anysio excluiu o filho Lug De Paula da divisão e partilhou todo o patrimônio, o que não é permitido pela lei brasileira. “Quando a pessoa quer fazer o testamento, ela esquece que só pode dispor de 50%“, explicou o advogado Antônio Corrêa para o “Domingo Espetacular”. Os outros 50% têm que ser compartilhados igualmente para todos os herdeiros legítimos.

Há pouco mais de um mês, a Justiça voltou atrás e validou parcialmente o testamento. A decisão solicitou que as divisões fossem reduzidas para 50% de todos os bens mencionados. Nos cinco primeiros anos após a morte de Chico, Malga era a inventariante, mas os filhos dele acusaram a viúva de má administração.

Continua depois da Publicidade

Eles alegaram que Malga não tinha prestado conta dos aluguéis das lojas e do apartamento de luxo, além do dinheiro dos direitos autorais. Atualmente, ela briga para ficar com o imóvel deixado por Chico. “Estava lúcido até o seu falecimento. Ele em vida deu a destinação que bem entendeu ao seu patrimônio“, defendeu Carlos Sanseverino, advogado de Malga. A Justiça ainda não emitiu um parecer favorável para ela.

Declarações de Nizo Neto

A herança de Chico Anysio voltou a ser assunto após Nizo dar declarações para o podcast “Plugado” em julho. “Meu pai não deixou bens. Nada, era pra ter deixado. Tem atores que fizeram muito menos sucesso que ele e deixaram R$ 30 milhões”, contou. “O cara não deixar nada de bem material é muito estranho. Incompetência de administração. Foi muito roubado, com toda certeza. Imagina quantos produtores não passaram… Não conferia nada. Não via nada. Confiava em todo mundo. Era um péssimo homem de negócio“, apontou.

Nizo contou que a herança que recebeu do pai se trata de textos da época do rádio. Ele disse que pretende transformar o material em um livro. “Então a herança que ele me deixou que eu posso dizer, fora o legado, foram pastas e pastas de textos da época do rádio. São programas de rádio maravilhosos. Você vai ler e falar: ‘Que coisa genial’. Mas você não vai morrer de rir porque são referência da época”, explicou.

Fiz uma compilação desses textos e estou aí com um papo com uma editora pra lançar esse livro, que chama ‘Francisco Anysio: O Garoto de Ouro do Rádio’, porque ele fez essas coisas com 17, 18 anos. Fiz uma compilação. Escolhi os melhores e antes de cada programa, faço um resumo do cenário da época. Ficou muito legal. Prefácio da Fernanda Montenegro, orelha do Cid Moreira. Estou pra ter uma reunião, tem uma editora grande que está muito interessada”, revelou.

Para o Splash, do UOL, Malga rebateu as acusações de Nizo. “Não considero que ele esteja falando de mim, porque se ele realmente estiver, nós teremos um problema sério. Ele terá que provar o que está falando”, disse. Ela também negou que o marido tenha deixado uma dívida avaliada em R$ 7 milhões, conforme foi divulgado pela revista Veja em 2022. “Eu não administrava nada“, afirmou sobre os bens.

Di Paula ainda declarou que não se sente “acusada” de roubo. “Até hoje nunca recebi nenhuma acusação formal, certamente porque não há nenhuma prova de que eu tenha roubado algo, nenhum centavo. Se eu tivesse roubado uma agulha sequer em 11 anos, todos saberiam“, explicou. “Estou com a minha consciência tranquila. As acusações de internet não me incomodam, o que interessa mesmo é que a Justiça tem acesso à minha conduta ilibada nesse processo“, finalizou.

Siga a Hugo Gloss no Google News e acompanhe nossos destaques



Veja mais em HugoGloss

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *