in ,

Suspeito de matar universitária a facadas no interior de SP confessa crime e relata motivação à polícia

O suspeito de matar a universitária Mayara Roquetto Valentim, de 23 anos, em São João da Boa Vista (SP), foi preso na manhã desta quarta-feira (18). Agora, segundo o delegado Fabiano Antunes de Almeida, responsável pela investigação, Michael Douglas da Silva confessou o assassinato. De acordo com o G1, durante o interrogatório o homem deu detalhes do crime.

Em depoimento, Michael teria afirmado que o objetivo inicial era roubar o celular da jovem, que fazia caminhada quando foi morta. “Ele viu que ela estava usando um telefone celular e foi para roubar. Ela se negou a entregar, então ele a matou. O que ele falou foi isso”, contou o delegado.

Fabiano também relatou que o homem estava dentro da mata quando abordou a estudante de biologia e garantiu que não houve abuso sexual. “Falei com o médico ontem, estava tudo íntegro. Ele (suspeito) falou que abaixou um pouco as calças dela para ver se tinha mais pertences, mas ele não mexeu, não” disse.

Continua depois da Publicidade

Segundo a Polícia Civil, Michael foi encontrado se escondendo em uma área de mata na Serra da Paulista, entre São João da Boa Vista e Águas da Prata. Com ele havia uma arma de fogo (garrucha), um canivete, que pode ter sido usado no assassinato, e o celular da vítima.

O rapaz, de 28 anos, sofre de esquizofrenia e teria dado tiros contra uma vizinha no sábado (14), quando sua arma não funcionou. O suspeito, então, teria ido para a região da Serra Paulista, local em que Mayara foi morta com 28 facadas. “Sobre essa tentativa de homicídio, ele falou que tinha intenção de matar a moça (vizinha) e se matar em seguida. Depois ele fugiu, foi para a mata e estava escondido lá quando a Mayara chegou”, explicou Fabiano.

Michael estava sendo procurado desde segunda. (Foto: Divulgação)

Em vídeo gravado pela polícia no momento da prisão, ele é questionado sobre o local onde teria matado a estudante e responde: “Perto da pedra mesmo”. Ainda no registro, o rapaz revela que escondeu a arma utilizada no crime a poucos metros de onde estavam.

Michael Douglas da Silva está detido e deve passar por audiência de custódia nesta tarde (19). Ele vai responder por tentativa de homicídio, cuja pena varia de 12 a 30 anos, e latrocínio (roubo seguido de morte), com pena que pode chegar a 30 anos. “Vou terminar o inquérito e já estou representando pela prisão preventiva dele”, afirmou o delegado.

Continua depois da Publicidade

Relembre o caso

Na segunda-feira (16), a universitária Mayara Roquetto Valentim foi encontrada morta na estrada da Serra da Paulista, em São João da Boa Vista. Segundo informações da Polícia Civil, Mayara foi achada após sair para uma caminhada no fim de semana. Os familiares teriam estranhado a demora e então tentaram contatá-la, sem sucesso. Na sequência, o desaparecimento da universitária foi relatado às autoridades.

Com o auxílio dos policiais, a família promoveu buscas na área da mata em que ela costumava caminhar. A estrada onde o corpo foi encontrado tem mais de 18 km de extensão, e faz parte do circuito da Caldeira do Vulcão de Poços de Caldas e do Caminho da Fé. O local é bastante frequentado por moradores da cidade.

Continua depois da Publicidade

Em meio à floresta, um amigo da família identificou o corpo de Mayara, que apresentava ferimentos de faca no braço, mão, tórax e cabeça. O corpo da jovem estava em uma ribanceira e foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de São João da Boa Vista.

Os familiares de Mayara ressaltam que a universitária era muito querida por todos e não tinha inimigos. A estudante cursava ciências biológicas na Unicamp, em Campinas, onde morava desde 2017. Ela passava o fim de semana na casa dos pais em São João da Boa Vista quando foi assassinada.



Veja mais em HugoGloss

The Umbrella Academy: Irmãos Hargreeves enfrentam a Sparrow Academy no primeiro e incrível trailer da nova temporada; vem assistir

Viola Davis faz desabafo potente sobre racismo em Hollywood e revela que diretor de cinema a chamava pelo nome da empregada; assista