Na última semana, o Desafio Metrópoles Fashion & Design 2023 ganhou um brilho ainda mais especial com uma surpresa preparada por Ilca Maria Estevão. Com realizações na cena fashion brasiliense, quatro nomes de referência toparam realizar uma mentoria exclusiva aos participantes. A oportunidade de interagir com esses mentores, que estiveram disponíveis em salas virtuais durante quarta (2/7) e quinta-feira (3/7), serviu para acabar de vez com as dúvidas e inspirar os criadores na concepção de minicoleções para o desafio.

Vem conferir os detalhes!

Na imagem com cor, a projeção do Metrópoles Fashion & Design na cúpula do Museu Nacional da Reública
O Metrópoles Fashion & Design Festival é uma forma de promover a moda cíclica na capital federal. A segunda edição será em 14 e 15 de setembro

O primeiro dia de mentoria teve a presença de Ana Cláudia Braga, estilista e professora do Senai-DF. Com experiência e olhar aguçado, a profissional enfatizou sobre a necessidade das peças criadas serem fora dos padrões.

“Quando falamos de um produto livre de estereótipos, é para você fazer um trabalho que modifique a peça realmente. Ou seja, utilizando o processo da reciclagem, dando uma cara nova à roupa. Um exemplo: você possui um tecido antigo na sua casa. Com ele, você pode fazer um processo de tintura ou de aplicação de brilho. E daí, criar a peça. Então, você tira o estereótipo de um simples tecido e o transforma em uma coisa diferente”, recomendou.

Na imagem com cor, professora Ana Cláudia Braga posando para a foto - Metrópoles
A professora Ana Cláudia Braga é um nome referência na capital quando se trata de moda

Depois, foi a vez de JP Santos, estilista e fundador da etiqueta brasiliense Off Shadow, assumir a mentoria. JP tem uma perspectiva única sobre o streetwear. A estética minimalista e as influências urbanas da marca têm conquistado amantes da moda, especialmente a geração Z. Em uma conversa anterior com a coluna, JP compartilhou da onde vem tantas ideias, que pode ajudar os participantes a finalizarem os projetos.

“A inspiração sempre vem do que eu vejo no meu dia a dia. Desenvolvemos conceitos visando uma ligação direta ou indireta com as ruas e com a correria das pessoas que estão em busca de melhoria e dos seus sonhos.”

Na imagem com cor, JP Santos posando para foto - Metrópoles
JP Santos esteve na primeira edição do MFDF com a Off Shadow. Agora, volta para auxiliar os participantes do desafio

Já na quinta-feira (3/7), foi a vez de Gisele Barrozo, criadora da plataforma Retiqueta e Las Coustureras, assumir a posição de mentora durante a manhã. Com grande expertise em negócios de moda, ela ressaltou que, para o reconhecimento da técnica, é necessário finalizar o processo com qualidade:

“Para fazer com que o upcycling seja aceito pela população, seja mais utilizado e aproveitado, e realmente entrar no circuito da moda, é necessário fazer com que ele seja reconhecido como algo criativo, sustentável e também com a produção de um bom acabamento. Então, no desafio, não é porque o produto surge por meio do upcycling que ele não exige uma boa finalização.”

Na imagem com cor, Gisele Barrozo posando para a foto - Metrópoles
Gisele Barrozo construiu duas marcas importantes para o segmento de brechós e sustentabilidade

Por fim, a quarta e última mentoria foi guiada por Alisson Abreu, estilista da Hylo Cartis Studio. Com um olhar minucioso e também voltado para cultura de rua, Alisson contou à coluna, no quadro Moda Brasília, sobre suas criações:

“Encontro inspiração em tudo o que vejo. Muitas vezes, estou passando por lugares e vejo certa combinação de cores e texturas, pessoas interagindo, o que elas estão usando, e isso rapidamente me motiva a pensar em um conceito que carrega tais características.”

Jornalista e diretor criativo conhecido na capital, Fernando Lackman conduziu as quatro salas, acompanhando de perto o desenrolar das mentorias e reforçando o compromisso do Metrópoles Fashion & Design Festival em apoiar e impulsionar a nova geração de criadores de moda.

Na imagem com cor, Alisson Abreu posando para foto - Metrópoles
O jovem designer Alisson Abreu participou na edição de 2022 com a marca autoral. Neste ano, ele traz a experiência para ajudar outros talentos

O desafio

No desafio, a proposta é fazer o upcycling de quatro looks, considerando os princípios de reduzir, reutilizar, reciclar e recriar, com o registro de todo o processo em fotos e vídeos. As inscrições estão abertas para o público geral. Podem participar estudantes, profissionais de moda e entusiastas da temática.

Até o dia 8 de agosto de 2023, qualquer pessoa disposta a criar, incluir e inventar poderá participar deste desafio. Vale ressaltar que a proposta deve ser livre de estereótipos relacionados a corpos, gêneros e idade.

Basta ler as instruções do regulamento e preencher o formulário de inscrição (presente no perfil do evento @metropolesfashion.design ou neste link). Os três primeiros colocados serão anunciados em 15 de agosto de 2023.

Veja a composição da premiação:

1º lugar:

Criação de desfile virtual da minicoleção;
Matéria na coluna e destaque nas redes sociais do Metrópoles;
Curso profissionalizante;
Espaço no Museu Nacional da República para exposição durante o Metrópoles Fashion & Design Festival.

2º lugar:

Trabalho citado na matéria dos ganhadores e destaque nas redes sociais do Metrópoles;
Curso profissionalizante;
Espaço no Museu Nacional da República para exposição durante o Metrópoles Fashion & Design Festival.

3º lugar:

Trabalho citado na matéria dos ganhadores e destaque nas redes sociais do Metrópoles;
Espaço no Museu Nacional da República para exposição durante o Metrópoles Fashion & Design Festival.

 

Confira o regulamento do desafio:

REGULAMENTO DESAFIO METRÓPOLES FASHION & DESIGN 2023 by Arte Metrópoles on Scribd

Metrópoles Fashion & Design 2023

Para movimentar a moda brasiliense, Ilca Maria Estevão promove a segunda edição Metrópoles Fashion & Design Festival. O evento, que ocorrerá de forma gratuita nos dias 14 e 15 de setembro, também terá experiências musicais e gastronômicas.

Neste ano, o foco do MFDF são brechós brasilienses. Com a proposta de movimentar a economia criativa e circular brasiliense, o Museu Nacional da República receberá 15 empresas do segmento. São elas: To Face, Bullseye, GG Garimpei, Reetiqueta, Bela Shop, Desapeguei Bonito, Choose Vintage, Reciclando Luxo, Lixo Mania, Pretty New, Perifa, Peça Rara, Tela Ambulante, Brechó dos Óculos e Não Kero Maix.


Veja mais em Metropoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *