in

MELHORES DA SEMANA – ESPECIAL DAFT PUNK

MELHORES DA SEMANA – ESPECIAL DAFT PUNK

MELHORES DA SEMANA – ESPECIAL DAFT PUNK

Essa semana, uma matéria especial comentando as melhores músicas do Daft Punk, que serão as melhores músicas que vocês vão ouvir essa semana!

por: Rodrigo Rodríguez

Uma notícia que ninguém nunca esperou ouvir nessa vida seria o fim do Daft Punk. O duo francês que se consagrou com grandes hits como “Get Lucky”, “One More Time” e “Harder Better Faster Stronger” mudou e revolucionou a dance music nas últimas décadas muito antes de nomes como David Guetta, Calvin Harris e Fatboy Slim levarem o título de big names do gênero.

De forma que posso chamá-los de gênios por toda a carreira que construíram também foram gênios na forma de terminar o projeto, apresentando um epílogo com o trecho de um video utilizado em seu filme “Electroma”, de 2006.

Posso afirmar que o melhor show que fui na minha vida foi o do Daft Punk. Naquela época, no Tim Festival em 2006 no Rio de Janeiro, eles ainda não eram tão conhecidos de forma tão popular que se tornaram nos últimos anos, e sobravam ingressos para venda. Do espetáculo de luzes, efeitos, do som e daquele palco com uma qualidade absurda e inesquecível, levo pra vida as lembranças daquele dia.

O Daft Punk nunca revelou sua identidade, porém sabemos que os nomes por trás do projeto eram Thomas Bangalter e Guy-Manuel Homem de Cristo, dois DJs e produtores que já tinham lançado músicas individualmente nos anos 90, inclusive o selo Roulé e os primeiros releases do sub-gênero french house. Todo o trabalho de marketing, principalmente do último álbum “Random Access Memories”, foi magistralmente conhecido como um grande trabalho de marketing de anonimato, criando uma estratégia completamente diferente que já vimos no mercado musical.

Cada passo da carreira era minuciosamente planejada, de forma devagar (lenta demais até) e pensando sempre a longo prazo. Cada etapa realizada consagrava o Daft Punk ainda mais, seja lançando um grande hit comercial como “One More Time”, assinando a trilha do longa metragem “Tron”, seja na turnê que os consagrou no Coachella para o mundo, seja na icônica parceria com Nile Rodgers e Pharrell em “Get Lucky”, ou seja pelos documentários e filmes que lançaram.

A única preocupação do Daft Punk era de fazer as músicas da maneira que eles queriam fazer, não se importando com o que ia acontecer, de forma absolutamente perfeccionista. Se seriam hits ou não, essa não era a premissa principal. E nunca foi desde o início do projeto. E de onde eles saíram do underground, para o mainstream: musicalmente e pessoalmente.

A coluna Melhores da Semana, essa semana, apresenta as 10 melhores músicas do Daft Punk, que deixam um grande legado na história da música eletrônica:

Da Funk (1985)

Ainda restritos apenas na cena eletrônica, o clipe dessa música fez o duo começar a ser conhecido por DJs e pessoas ligadas ao mercado internacional. Foi o primeiro single, de 1995.

Around The World (1997)

Essa foi a música que estourou definitivamente o Daft Punk, muito por conta do clipe que passava o dia todo na MTV e por ser divertido, colorido e diferente, acabou chamando a atenção.

Rollin & Scratchin’ (1997)

Um lado Bzasso deles, que estava sendo tocada há pouco tempo atrás por David Guetta em suas lives na quarentena. A música, um techno com BPM acelerado, começa de forma instrospectiva e vai ficando nervosa e crescendo até chegar num clímax explosivo, acelerado, barulhento e inquieto. Pra mim, uma das melhores músicas do Daft Punk. E moderna demais para a época que foi produzida.
Burnin’ (1997)

Outro grande lado B do Daft Punk, que leva a altos e baixos o tempo todo, em uma faixa também nervosa, barulhenta, impactante e cheia de samples! O clipe fez bastante sucesso também na MTV.
One More Time (2001)

Um dos maiores hits das pistas e festivais de música eletrônica de todos os tempos (e minha música favorita do duo). Tocada por praticamente todos os DJs de todas as partes do planeta e que não podia ficar de fora desse Top 10. A partir do álbum “Discovery”, o Daft Punk começou a produzir uma série de clipes em desenho animado e “One More Time” foi o primeiro deles. Isso levou ao lançamento doa do DVD “Interestella 555”.

Harder Better Faster Stronger (2001)

Outro hit do mesmo álbum “Discovery”, que acabou ganhando diversos remixes e uma versão recriada por Kanye West anos depois com os mesmos vocais, na faixa “Stronger”. No clipe do rapper, o Daft Punk faz uma aparição especial.
Something About Us (2001)

O Daft Punk também transitava por sonoridades mais leves e chill como a bela “Something About Us”, que apesar de diferente de todo o conjunto da obra, mostra de forma concreta as características sonoras da dupla.
Robot Rock (2005)

Aqui a dupla misturava grandiosamente bem a música eletrônica com o rock, em uma faixa empolgante e eletrizante. Uma das minhas favoritas também, de um álbum que não fez tanto sucesso como esperado, o “Human After All”, fazendo o Daft Punk repensar toda a sua carreira. Esse fato foi citado no documentário “Daft Punk Unchained”, obrigatório para todos que trabalham com música e também para os fãs do duo.
Get Lucky (2013)

Aqui o Daft Punk se consagrou como um dos maiores artistas do mundo ao lançar essa faixa pop, mas ao mesmo tempo retrô, dançante e comercial, produzida com os icônicos Pharrell Williams e Nile Rogers, que acabou se destacando no mercado musical novamente por conta dessa grande parceria.
I Feel It Coming (2016)

Depois de assinarem o hit “Starboy”, com The Weeknd, os dois artistas apresentaram outra grande faixa junto com ele.
Bônus:
Foram raros os remixes produzidos pelo Daft Punk para outros artistas. E alguns deles, verdadeiras obras-primas:
Ian Pooley – Chord Memory (Daft Punk Remix) (2006)

Scott Grooves – Mothership Reconnection (Daft Punk Remix) (2006)

Franz Ferdinand – Take Me Out (Daft Punk Remix) (2013)

The Chemical Brothers – Life Is Sweet (Daft Punk Remix) (1995)

I:Cube – Disco Cubism (Daft Punk Remix) (2009)

OUÇA TODAS AS MÚSICAS DA COLUNA MELHORES DA SEMANA NA NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY E ACOMPANHE OS ÚLTIMOS LANÇAMENTOS:


Veja mais em DJMag

O que você acha?

Viajando pelas pistas #04: Vini Pistori volta à Itália para lhe mostrar o Duel Club, em Nápoles

Pirate Snake conquista a gravadora holandesa Spinnin’ Records