A polícia de Portugal informou que realizará novas buscas por vestígios e provas que levem ao paradeiro da menina inglesa Madeleine McCann, que desapareceu em 2007, quando tinha 3 anos, durante as férias que passou ao lado da família no país. De acordo com a imprensa local, os agentes vasculharão lugares que costumavam ser frequentados pelo principal suspeito no caso, o alemão Christian Brueckner, nesta terça-feira (23).

A operação foi solicitada pelas autoridades alemãs. A polícia do país tem como principal linha de investigação a hipótese de que a garota foi assassinada e os agentes portugueses corroboram com essa possibilidade. Segundo um porta-voz dos bombeiros, as buscas terão início em uma represa na região de Algarve, cerca de 50 quilômetros de distância da Praia da Luz, onde Madeleine foi vista pela última vez e local muito visitado por Brueckner.

A procura por vestígios que possam trazer novas informações e eventuais provas sobre o desaparecimento da criança deve durar pelo menos dois dias e pode ser estendida caso algo relevante seja encontrado. Nesta segunda-feira (22), duas tendas já foram erguidas perto da represa na cidade de Silves. Além disso, o The Sun divulgou que mergulhadores experientes farão buscas na água, enquanto as margens serão escavadas.

Apesar de prepararem a operação, as autoridades portuguesas declararam anonimamente que não esperam encontrar o corpo da menina. À agência Reuters, uma pessoa relacionada às investigações em Portugal e que preferiu não ser identificada, afirmou que a procura “não vai dar em nada”. De acordo com o Daily Mail, esta é a primeira grande operação vinculada ao caso desde 2014, quando as autoridades britânicas fizeram escavações e usaram cães farejadores no mesmo local.

Continua depois da Publicidade

Caso Madeleine McCann

Em maio de 2007, Madeleine tinha de 3 anos e desapareceu em Algarve, Portugal. Na noite do sumiço, os pais dela saíram para jantar com amigos e deixaram os filhos dormindo no quarto do hotel, mas ao retornarem a menina não estava mais lá. O caso nunca foi solucionado. A vigília aconteceu duas semanas após um tribunal da Alemanha decidir não julgar os supostos crimes sexuais de um homem suspeito pelo desaparecimento de Madeleine.

Christian Brückner, suspeito pelo desaparecimento de Madeleine McCann. (Fotos: Reprodução)

Por outro lado, as autoridades alemãs estão convencidas de que Madeleine morreu e quer acusar o principal suspeito, Christian Brueckner. O homem de 45 anos está cumprindo pena pelo estupro de uma turista norte-americana no mesmo resort português onde Madeleine desapareceu em 2007. Na época do sumiço da menina, o suspeito morava nas proximidades do hotel.

Recentemente, uma polonesa chamada Julie Faustyna, de 21 anos, alegou ser Madeleine, mas a polícia local descartou a possibilidade. A jovem viralizou nas redes sociais ao iniciar uma campanha para provar ser a inglesa. “As ações realizadas pelos policiais até o momento contradizem a versão apresentada pela jovem. As atividades ainda estão em andamento, mas já é possível descartar que essa versão seja verdadeira“, garantiu um porta-voz da polícia.

Siga a Hugo Gloss no Google News e acompanhe nossos destaques



Veja mais em HugoGloss

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *