O escândalo sobre a tentativa de acesso aos registros médicos de Kate Middleton ganhou um novo capítulo. O The London Clinic, hospital onde a princesa ficou internada em janeiro para a cirurgia no abdômen, teria esperado mais de sete dias para relatar às autoridades a suspeita de violação de dados. O caso pode resultar em uma multa milionária para a unidade médica.

Três membros da equipe médica estão sendo investigados pela tentativa de violar o sistema de segurança da The London Clinic. O trio foi suspenso e enfrentará sanções profissionais, caso seja comprovado que teve acesso aos documentos de Kate. A esposa do príncipe William foi hospitalizada em 16 de janeiro e recebeu alta 14 dias depois.

O Information Commissioner’s Office (ICO), organização não governamental que regula proteção de dados e liberdade de informação no Reino Unido, investiga o caso, não apenas sobre a tentativa de vazamento das informações, mas também de uma suposta omissão por parte do hospital.

Conforme a legislação britânica, qualquer violação de dados pessoais deve ser comunicada no prazo de 72 horas após a sua descoberta. Ao Daily Mail, um especialista explicou que as regras de proteção de dados podem implicar numa multa de até 17 milhões de libras (cerca de R$ 108 milhões na cotação atual) para o London Clinic, se for descoberto que o hospital cometeu irregularidades.

Continua depois da Publicidade

O ICO se encarregou do caso, uma vez que a própria clínica afirmou que tomará “todas as medidas apropriadas” para apurar o episódio interno. A polícia também foi chamada a investigar a situação.

Além de Kate Middleton, o rei Charles também frequentou o hospital privado nos últimos meses, a primeira vez para o tratamento de um aumento da próstata e depois para cuidar de um câncer. Todavia, suas informações médicas privadas não foram afetadas pela violação.

Kate Middleton não era vista desde janeiro, e viralizou na mídia por seu “sumiço” (Foto: Getty)

Hospital se manifesta

Em um comunicado emitido nesta quarta (20), Al Russell, CEO da The London Clinic, comentou o ocorrido. “Todos da London Clinic estão perfeitamente conscientes dos nossos deveres individuais, profissionais, éticos e legais no que diz respeito à confidencialidade do paciente”, declarou ele.

“Temos enorme orgulho do excelente cuidado e discrição que pretendemos oferecer a todos os nossos pacientes que confiam em nós todos os dias. Temos sistemas implementados para monitorar a gestão das informações dos pacientes e, no caso de qualquer violação, serão tomadas todas as medidas investigativas, regulamentares e disciplinares apropriadas”, afirmou Russell.

Continua depois da Publicidade

Ao final, o CEO apontou que a depender do rumo das investigações, desligamentos serão promovidos na equipe. “Não há lugar em nosso hospital para aqueles que violam intencionalmente a confiança de qualquer um de nossos pacientes ou colegas”, concluiu.

O Palácio de Kensington não divulgou detalhes sobre o motivo da cirurgia e o estado de saúde de Kate Middleton. Desde então, a princesa de Gales raramente foi vista em público, fazendo com que os internautas fervilhassem com teorias da conspiração.



Siga a Hugo Gloss no Google News e acompanhe nossos destaques



Veja mais em HugoGloss

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *