Uma das irmãs de Céline Dion afirmou que a cantora está sendo tratada por especialistas, mas que não responde a nenhuma medicação usada até o momento. Claudette contou para o jornal canadense Le Journal de Montreal que a artista está sob os cuidados da sua outra irmã, Linda. Ela também ressaltou que a artista precisa de descanso. Céline, de 55 anos, cancelou a turnê que faria este ano após ser diagnosticada com uma doença rara, a Síndrome da Pessoa rígida (SPR).

Não achamos nenhum remédio que funcione, mas ter esperança é importante“, disse Claudete. Para ela, a cantora deu o seu melhor ao longo da carreira, mas parar foi necessário. “Sinceramente, acho que ela precisa descansar acima de tudo. Ela sempre vai além em suas performances, sempre tenta ser a melhor. Em algum momento, seu coração e seu corpo falam com você“, explicou.

Cantora adiou os shows de 2023 para 2024 por causa da doença rara. (Getty)

Quando ligo para ela e ela está ocupada, falo com minha irmã Linda, que mora com ela e me diz que está trabalhando muito”, contou. Para o veículo, ela também revelou que a irmã está em contato com os melhores profissionais da área e é disciplinada no tratamento. “Ela tem ouvido os maiores pesquisadores desta doença rara. Ela é disciplinada em todas as áreas de sua vida“, finalizou.

Céline anunciou o diagnóstico da Síndrome de Stiff-person, ou Síndrome da Pessoa Rígida, doença neurológica sem cura caracterizada por tencionar e causar rigidez nos músculos, no Instagram, no ano passado. Na ocasião, ela contou que estava adiando os shows da turnê e cancelando outras apresentações que faria no verão do Hemisfério Norte.

Venho lidando com problemas de saúde há muito tempo, e tem sido muito difícil para mim enfrentar estes desafios e falar sobre tudo o que tenho passado… Me dói dizer que vou vencer. Estou pronta para reiniciar minha turnê na Europa em fevereiro“, disse a artista.

Peço desculpas por demorar tanto para falar com vocês“, lamentou no vídeo. “Recentemente, eu fui diagnosticada com uma doença rara chamada síndrome de Stiff-person, o que afeta algo em torno de uma em um milhão de pessoas. Enquanto ainda estávamos entendendo o que era essa rara doença, nós sabemos agora que era ela que estava causando todos os espasmos que eu estava tendo“, detalhou.

Continua depois da Publicidade

Infelizmente, esses espasmos afetam todos os aspectos da minha vida diária. Às vezes causam dificuldades para eu andar e não me permitem usar minhas cordas vocais para cantar do jeito que eu estou acostumada a cantar“, explicou Dion. “Me dói dizer hoje que isso significa que eu não estarei pronta para recomeçar a minha turnê na Europa, em fevereiro“, admitiu.

No registro, ela contou que estava trabalhando com os médicos e fisioterapeutas para conseguir voltar aos palcos. “Mas eu tenho que admitir que tem sido uma luta. Tudo que eu sei é que cantar é o que eu fiz por toda a minha vida, e o que eu mais amo fazer“, concluiu.

Siga a Hugo Gloss no Google News e acompanhe nossos destaques



Veja mais em HugoGloss

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *