Desde que foi solta da prisão, Gypsy Rose Blanchard tem compartilhado detalhes sobre a liberdade recém-conquistada. Entretanto, seu relacionamento com Ryan Anderson foi alvo de críticas, o que forçou a jovem a defender o parceiro. Gypsy foi condenada por ter participado do assassinato da mãe Dee Dee Blanchard, em 2015. Ela cumpriu 85% de sua pena e, desde então, tem mostrado seu dia a dia para o público.

Entre os cliques publicados, Gypsy mostrou momentos românticos com Ryan, com quem se casou ainda dentro do presídio Chillicothe Correctional Center, no Missouri. As imagens, bem como uma selfie recente compartilhada por Ryan, foram suficientes para renderem ataques à aparência dele.

Incomodada, Blanchard foi incisiva em sua defesa ao parceiro, nesta terça-feira (2). “Ryan, não dê ouvidos aos ‘haters’. Eu te amo e você me ama. Não devemos nada a ninguém. Nossa família é o que importa. Se você receber curtidas e bons comentários, ótimo, se receber ódio, tanto faz, porque ELES NÃO IMPORTAM. Eu te amo”, declarou Gypsy.

A jovem foi ainda mais longe e fez uma revelação pra lá de ousada sobre a vida do casal entre quatro paredes. “Além disso, eles estão com ciúmes porque você está agitando meu mundo todas as noites … sim, eu disse isso, o P*** é incrível. Esposa feliz, vida feliz”, acrescentou ela. Anderson respondeu a amada. “Quem disse que eu me importo com o que essas pessoas invejosas dizem? Agora venha pegar, baby”, escreveu ele.

Gypsy defendeu o marido nas redes sociais. (Foto: Reprodução/Instagram)

Gypsy e Ryan se conheceram em 2020, enquanto ela ainda cumpria pena na prisão por seu papel no assassinato da mãe. Gypsy foi vítima de Munchausen por procuração, uma forma rara de abuso em que um tutor ou pai exagera ou induz doença a uma criança para obter atenção e simpatia para si mesmo.

Continua depois da Publicidade

Acredita-se, especialmente nos Estados Unidos, que a motivação do crime (que foi cometido com a ajuda de Nicholas Godejohn, namorado de Gypsy da época) foram os anos de abuso médico, psicológico e físico aos quais a genitora submeteu a jovem, por meio de procedimentos médicos dolorosos dos quais ela nunca precisou.

Ryan, que é um professor de Louisiana, escreveu uma carta para Gypsy pela primeira vez em 2020, enquanto ela ainda estava encarcerada. Eles se casaram dois anos depois.

Siga a Hugo Gloss no Google News e acompanhe nossos destaques



Veja mais em HugoGloss

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *