O grupo Kering anunciou a compra de 30% da grife italiana Valentino, na última quinta-feira (27/7). Por meio da parceria estratégica, o conglomerado francês pretende adquirir 100% do capital da marca até 2028. A etiqueta é uma das mais relevantes da moda mundial.

Vem saber mais!

Desfile da Alta-Costura 2022 da Valentino. Na foto, é possível ver as modelos vestindo as roupas da marca e posicionadas nas escadas da praça onde ocorreu a apresentação. No centro, está o estilista Pierpaolo Piccioli, que comanda a etiqueta, um homem branco, de meia idade, e cabelos médios lisos - Metrópoles
O grupo Kering comprou recentemente 30% da Valentino

 

O acordo inicial foi negociado por 1,7 bilhão de euros. A aquisição de 30% da Valentino pelo grupo Kering deve ser concluída até o fim de 2023, sujeita à aprovação de autoridades competentes de concorrência.

O Kering se tornará um acionista significativo com representação no conselho administrativo. Por enquanto, a companhia de investimentos Mayhoola, do Catar, permanecerá como acionista majoritária, com 70% da Valentino.

“A transação faz parte de uma parceria estratégica mais ampla entre o Kering e a Mayhoola, que pode levar Mayhoola a se tornar acionista do Kering”, destacou o grupo francês em comunicado.

Imagem colorida mostra vitrine de loja com o logotipo da Valentino - Metrópoles
O conglomerado francês pretende adquirir os 70% restantes até 2028

 

Modelos usam maxibrincos com brilho na passarela da Valentino - Metrópoles
Por enquanto, a companhia Mayhoola permanecerá como acionista majoritária na Valentino

 

Na passarela de moda, a modelo Kaia Gerber usa brinco grande com camisa branca com decote e calça jeans - Metrópoles
O acordo inicial foi fechado por 1,7 bilhão de euros

 

Mulher negra e jovem, de preto liso, desfila para a marca Valentino Semana de Moda de Paris. Ela usa um vestido longo e calça, tudo na cor rosa. - Metrópoles
A Valentino é uma das marcas mais relevantes da moda mundialmente. No ranking Lyst Index, referente ao segundo trimestre de 2023, a grife italiana ficou na sexta posição entre as labels mais admiradas

Presidente e CEO do Kering, François-Henri Pinault disse, em comunicado, que a Valentino se beneficiará de sinergias, enquanto os conglomerados envolvidos no negócio explorarão em conjunto outras oportunidades alinhadas com as próprias estratégias. “É muito cedo, claro, para dizer quais seriam essas oportunidades, mas, para mim, é preciso ampliar nosso escopo de olhar para os mercados de luxo no futuro”, opinou. “Nos últimos 10 anos, fizemos grandes progressos para nos tornarmos um grupo de luxo integrado. A transformação, no entanto, ainda não está completa.”

Entre os motivos para a possível compra total da Valentino, está a pressão o que o grupo francês vem sofrendo em relação à concorrência com o rival LVMH. A entrada da marca italiana no catálogo de marcas torna o Kering menos dependente da Gucci, que representou 67% do lucro operacional total do grupo no ano passado.

O portal WWD apontou que a aquisição ofuscou o fraco desempenho do segundo trimestre deste ano. No período, a Gucci não atendeu às expectativas do mercado enquanto se adaptava a uma nova liderança corporativa e criativa, após a saída do antigo CEO, Marco Bizzarri, e do diretor criativo, Alessandro Michele.

Valentino Garavani acenando - Metrópoles
Valentino Garavani fundou a grife em 1960

 

O estilista Valentino Garavani com a modelo Iman Abdulmajid em 1984. Ela é uma mulher negra e jovem e usa um vestido longo vermelho. Ele é um homem branco, de meia idade, que usa terno e gravata. - Metrópoles
O designer ficou mundialmente conhecido pelo “vermelho Valentino”

 

Grupo de pessoas celebrando em desfile da Valentino - Metrópoles
Atualmente, a direção criativa da etiqueta é assinada pelo estilista Pierpaolo Piccioli

 

Valentino e Kering

Criada em Roma, no ano de 1960, por Valentino Garavani, a grife homônima tem 211 lojas operadas diretamente em mais de 25 países. O idealizador da marca aposentou como estilista em 2007. Desde 2016, Pierpaolo Piccioli comanda sozinho a direção criativa da etiqueta. Anteriormente, ele dividiu o posto com Maria Grazia Chiuri por oito anos.

O grupo Kering foi fundado por François Pinault. Em 1963, a então Établissements Pinault nasceu como empresa especializada em madeira, em Rennes, na França. O primeiro movimento estratégico do grupo ocorreu em 1990 com a entrada no varejo de moda. O foco mudou para o mercado de luxo no fim da década. Atualmente, além da Gucci, grifes como Saint Laurent, Bottega Veneta, Balenciaga e Alexander McQueen integram o conglomerado.


Veja mais em Metropoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *