in

Falamos com Komka sobre os trabalhos e direcionamento futuro da I/U Music

Falamos com Komka sobre os trabalhos e direcionamento futuro da I/U Music

Falamos com Komka sobre os trabalhos e direcionamento futuro da I/U Music

A gravadora neste ano já fez “barba, cabelo e bigode”, mas ainda tem mais pela frente.

via Assessoria de Imprensa

Nem mesmo após tantos dias de trabalho, planejamento, execução e divulgação de seu debut álbum, Untenable System, e do álbum de remixes lançado há alguns meses, Komka pensa em descansar. O DJ e produtor brasiliense fez uma ótima contribuição à cena underground com estes dois materiais, mas ainda fechará o ano com o 10º lançamento da I/U Music, gravadora que ele mesmo comanda desde o final de 2019. Pela frente está por vir um EP de duas faixas batizado de That Rek. Falamos com ele:

Você finalizou e lançou seu debut álbum em agosto pela I/U Music, com 12 faixas autorais; na sequência veio o álbum de remixes, com outras 10. Qual foi o balanço final destes dois lançamentos para você?

Foi o encerramento de um ciclo para mim e a realização de um grande sonho pessoal, que era lançar um LP. O álbum de remixes veio para reforçar o álbum e era parte do planejamento deste projeto. Fiquei muito feliz com a colaboração dos artistas que toparam fazer parte da idéia. O resultado ficou ótimo!

Pela frente está por vir um novo EP seu, That Rek. São faixas produzidas nos últimos meses ou, de alguma forma, músicas que estavam prontas e não foram para o álbum?

Tive um longo período produtivo e dedicado à música nos últimos tempos. Entre abril de 2019 até julho deste ano, mais ou menos, me dediquei integralmente à música e produzi muita coisa neste tempo. A “That Rek” e “Feel This” fazem parte deste período.

DJ MAG BRASIL: Quais os planos com a gravadora para o ano de 2021? A ideia é manter uma consistência de lançamentos ou não se comprometer com isso?

Desde o lançamento da gravadora, em novembro de 2019, mantive uma sequência de um lançamento por mês. Estava dedicando todo meu tempo à música e esta periodicidade intensa foi reflexo disso. Desde o lançamento do álbum de remixes, em setembro, dei uma pausa nos lançamentos e agora em dezembro farei mais um. Quero em 2021 trabalhar novos projetos, com o lançamento de novos artistas que irei produzir, e também retomar um ritmo, mais moderado, de produções próprias. Essa diminuída no ritmo é reflexo de um novo momento de vida que estou vivendo, em que me dedico a um novo projeto que tem consumido todo o meu tempo. O próximo passo agora é conciliar as coisas, pois a produção musical tem me feito muita falta!

DJ MAG BRASIL: E o direcionamento sonoro fica exclusivamente com sons mais voltados ao Electroclash ou terá uma flexibilidade maior dentro do House/Techno?

Eu diria que a tendência é partir para sons mais experimentais. Tenho curtido produzir sons que fogem de um formato House, Techno ou Electro. Produções que se aproximam mais ao Rock, ao Pop e a ritmos mais lentos como Downtempo e Trip-hop.

DJ MAG BRASIL: Hoje você cuida sozinho dos trabalhos da I/U Music ou tem alguém auxiliando você?

A I/U Music é um projeto pessoal e independente. Um selo que criei para lançar a minha música e agora parto para lançar artistas que acredito. Ninguém hoje me auxilia na gravadora, mas eu sempre estou aberto a colaborações e não fecharei as portas para isso.

DJ MAG BRASIL: Qual é a melhor e a pior coisa no gerenciamento de um selo? O que você aprendeu até aqui que levará para o próximo ano?

A melhor é ter a autonomia de lançar o que acredita, sem depender de aprovação. A pior é ter que cuidar de tudo que envolve a promoção da música, que muitas vezes vai além da música, como ter uma boa estratégia de marketing, um planejamento como empresa mesmo. É difícil, ao menos para mim, me libertar artisticamente e imergir inteiramente na música quando há preocupações administrativas de tornar o negócio organizado e sustentável. É difícil fazer tudo, cuidar de tudo que envolve uma gravadora, mas tento me desdobrar para conseguir dar conta do recado.

“That Rek” chega nas principais plataformas digitais no dia 4 de dezembro.


Veja mais em DJMag

O que você acha?

Vinne conquista Alesso, David Guetta, Tiësto e Martin Garrix com “Pó de Anjo”

Zuffo e Envoy lançam novo single de tech house ao lado da cantora canadense Mikalyn, pela REVEN BEATS – News