in

De volta: após hiato de 3 anos, Dirtyloud lança pela gravadora de Hardwell e trabalha em documentário

De volta: após hiato de 3 anos, Dirtyloud lança pela gravadora de Hardwell e trabalha em documentário

De volta: após hiato de 3 anos, Dirtyloud lança pela gravadora de Hardwell e trabalha em documentário

DJ e produtor mineiro iniciou nova fase do projeto batendo o top #10 do 1001Tracklists Newcomer Tracks e top #100 Overall.

via Assessoria de Imprensa

De 2008 até aqui, muitos quilômetros foram percorridos por Marcus Vinícius do Dirtyloud, um dos projetos brazucas mais bem sucedidos do país, com apresentações em diversos eventos, clubs e festivais nacionais, além de 16 países, em turnês pelos quatro cantos do mundo. Vale destacar os trabalhos com artistas como deadmau5, Calvin Harris, Yoko Ono e Shakira.

Durante esse tempo, o público mudou, a música eletrônica se renovou e ganhou proporções de verdadeiros rockstars, e se reinventar tronou-se uma palavra diária na vida do DJ e produtor mineiro que, antes mesmo da pandemia, focou sua atenção nos estudos e estúdio. “Estava me reciclando para recomeçar, fazer algo diferente do que já fiz no passado, é como se eu tivesse começando do zero. Me vejo totalmente como um artista novo que está buscando conquistar o seu público”, conta.

O resultado desses três anos não poderia ser diferente, uma sonoridade mais madura que já foi apresentada ao público com um lançamento pela gravadora Revealed Records, selo de Hardwell, um dos DJs número #1 do mundo. “O Hardwell é um big name, isso faz com que milhões de pessoas sigam ele e a gravadora. Ele dá suporte, toca no Hardwell On Air onde ele mostra as novidades para o mundo todo”, revela Marcus que entrou para o top #10 New Coming Tracks e top #100 Overall do 1001Tracklists.

A faixa, “Running Back” trouxe uma pegada house, que foi por onde o produtor começou aos 13 anos de idade. “Eu nunca toquei outro estilo além do house, comecei no house, fui para o eletro house que é um subgênero com a qual bombei o projeto. Mas sempre toquei um pouco de tudo, tech house, prog gouse, até porque as influências das músicas hoje são misturadas, então, foi basicamente isso que me levou a essa mudança”.

O know-how e a paixão pelo house foram combustíveis para essa virada de chave que conta com uma curiosidade. Além da track lançada pela Revealed, Marcus tem trabalhado em alguns remakes, como o lançado em dezembro free download, um remix para “Leave The World Behind”, do Swedish House Mafia.

Além da versão para o hit do SHM, o produtor tem mais quatro remakes de músicas que marcaram a sua carreira e que estão relacionadas com essa história do artista com o house. “São quatro remakes de grandes artistas que fizeram parte da minha vida, com uma nova roupagem que diz muito do meu som”, afirma. Entre os nomes escolhidos estão David Guetta, Erick Morillo e Chris Lake.

Para completar esse reset na carreira, Marcus está trabalhando em um documentário que já se encontra em fase de edição final. “O que posso adiantar é que ele sai logo, logo”, afirma o artista que apresenta neste doc inédito a vida e carreira de um DJ, a partir das suas experiências e vivências. “Vai ser algo motivador pra galera que tá começando, que quer começar: ‘se o cara conseguiu, eu também consigo’”.

Com turnês fechadas para os Estados Unidos e Canadá pós pandemia, o projeto Dirtyloud começa 2021 com muitas novidades. “Minha expectativa não é fazer algo grandioso, mas, algo que me faça feliz, voltei a me divertir e estou curtindo muito”, conta. “Em relação a cena, não sabemos quando tudo vai voltar, então, estou focado no meu trabalho, procurando lançar novas músicas”.

Em fevereiro, Dirtyloud lança pela gravadora russa Mixfeed, e já tem outra música assinada na label do projeto Wh0 que, no ano passado, chegou esmagando com releases em big selos mundiais. “Estou muito feliz com meu som e, durante esses últimos anos, nunca acreditei tanto nele”, encerra o artista mineiro.


Veja mais em DJMag

O que você acha?

Flakkë estreia na Musical Freedom de Tiësto com Dubdogz e Mariana BO em “Drop It”

MELHORES DA SEMANA #50 – 18/01 a 24/01