Recentemente, o campo da
inteligência artificial (IA) tem recebido muita atenção, tanto em termos
de criação quanto de produção, no setor do entretenimento e também no segmento
da música.

Muitos produtores e artistas abandonaram a produção manual e
agora estão aproveitando as vantagens do processo de produção através da
inteligência artificial.

Desde aplicativos de composição e plataformas de
masterização, até ferramentas de identificação de músicas e listas de
reprodução altamente personalizadas, a IA está mudando a forma como a música é
criada e ouvida.

Oferecendo novas abordagens criativas

Há muito tempo
a inteligência artificial tem a capacidade de criar músicas,
sendo esse um dos primeiros mal-entendidos sobre essa tecnologia, a
qual não está aqui para substituir os músicos.

A IA pode ser utilizada
para compor uma direção e uma estrutura original que sirva de inspiração para
os escritores e produtores musicais.

Nesse sentido, ela pode
ajudar os músicos a encontrar novas abordagens criativas através da
análise de conteúdo escolhido.

Facilidade na criação de conteúdo

Também os consumidores têm, atualmente,
a oportunidade de criar conteúdo artístico como nunca.

Existem inúmeros aplicativos
e ferramentas que estão disponíveis, ao acesso de todos, e que permitem aos
apreciadores de música desenvolverem toda uma variedade de conteúdo musical.

Com a acessibilidade e a sofisticação das ferramentas atuais, é possível
definir configurações sobre estilo, ritmo e letra, além de conseguir uma
produção imediata para compartilhar nas redes sociais.

Capacidade de prever vencedores

O avanço dos algoritmos nas
principais plataformas de streaming veio para permitir recomendações musicais
cada vez mais relevantes aos usuários.

Essa recolha de informações em grande
escala possibilita a criação de estatísticas e análises de dados que
conseguem determinar possíveis favoritos e, no caso de festivais musicais, os
vencedores.

Desse modo, sites que funcionam como plataforma de apostas começaram a apresentar mercados de
apostas para os prováveis vencedores entre os participantes desses eventos
musicais, uma vez que através da análise de dados tem sido possível
determinar quais são os favoritos.

Experiência de usuário

Os dispositivos móveis recolhem
informações sobre o reconhecimento facial e outros dados biológicos, tais como
a frequência cardíaca e o reconhecimento facial.

Contudo, a IA
será capaz de produzir uma experiência muito mais refinada. Essa capacidade
irá permitir que o usuário usufrua de uma reprodução contínua mais
pessoal enquanto a plataforma registra o interesse em cada música tocada.

A
leitura desses dados em tempo real permite identificar os estilos musicais
mais próximos aos gostos de cada usuário.

Metadados e direitos autorais

Como tem acontecido por todo o campo do entretenimento, os metadados dos conteúdos artísticos têm incorporado novas abordagens para a proteção dos direitos autorais.

Novos sistemas de códigos para registrar faixas têm surgido para identificar a forma como esses royalties são recebidos e distribuídos.

No entanto, as leis atuais relativas ao conteúdo produzido por IA são vagas e geram preocupações sobre como regulamentar a propriedade intelectual.

À medida que a tecnologia continua avançando e evoluindo, o impacto da IA na indústria da música irá inevitavelmente aumentar nos próximos anos.

Com as ferramentas artísticas se tornando mais sofisticadas, esses recursos oferecem aos produtores musicais novas e empolgantes formas de criar música e de envolver o público.

Apesar de existirem algumas preocupações acerca dos direitos autorais, é esperado que a indústria musical do futuro seja ainda mais dinâmica e diversificada.

Load the next article


Veja mais em Mixmag

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *