O universo da moda pode proporcionar inúmeras possibilidades para quem escolhe se aventurar, mas saber qual área seguir não é uma tarefa fácil. Desde a infância, a brasiliense Manuela Lima tem um contato afetuoso com o segmento. Após várias experiências, a empresária encontrou o próprio lugar no mercado de segunda mão. De maneira despretensiosa, abriu o brechó Não Kero Maix, com uma curadoria especial de peças e acessórios conceituais.

Vem conhecer!

Imagem com fundo branco e as letra NKMX em maiúsculo pretas - Metrópoles
Não Kero Maix é um brechó brasiliense com curadoria de Manuela Lima

A vontade de prestar atenção na forma como consome moda foi um dos principais motivos para Manuela Lima criar um perfil de desapego. Formada em moda, ela compreendeu que poderia dar um novo destino para roupas sem uso no guarda-roupa.  “Quero ter um armário que eu olhe e fale sei tudo o que está aqui dentro eu uso e aproveito”, explica, em entrevista à coluna.

Assim, Manuela começou a ter uma rotina de desapego das peças. Na divisão, alguns itens iam para doação. A jovem, então, passou a separar itens que as amigas tinham interesse em comprar. Como forma de concentrar tudo em único espaço, a empreendedora criou uma conta no Instagram. Foi quando nasceu o Não Kero Maix. “Comecei assim: mensalmente separava as minhas coisas e postava. Vendia tudo. Era um preço superacessível. Não tinha a intenção de ser algo grande”, conta.

Paralelamente, a jovem mantinha uma carreira em outros espaços da moda. Manuela tem no currículo passagens por etiquetas como Zara, Farm, Lucila Pena e Pretty New. Com propostas diferentes, a brasiliense compartilha que adquiriu experiências em todos as marcas nas quais trabalhou. Essas experiências a ajudaram a ter uma visão mais ampla da indústria.

Além das áreas profissionais, a empresária continuo a se especializar no universo fashion. Chegou a fazer cursos em lugares como Paris, na França, e Londres, na Inglaterra. Até pensou em abrir a própria marca. Após planejar todo um começo de negócio, Manuela Lima resolveu pausar a ideia e investir ainda mais no brechó Não Kero Maix.

Mulher branca com cabelos ruivos posa para foto com vestido rosa - Metrópoles
Aos 27 anos, Manuela Lima tem uma vasta experiência no mercado de moda em Brasília

 

Na imagem com cor, mulher branca tira foto em frente ao espelho - Metrópoles
A jovem acredita na moda circular como um propósito para seguir

 

Na imagem com cor, mulher posa deitada com sapato rosa - Metrópoles
A jovem deseja ampliar o negócio e ter peças conceituais, vintages e tendenciais

 

Na imagem com cor, mulher branca e loira posa para foto - Metrópoles
Ex-chefe e amiga de Manuela, a estilista Lucila Pena, por exemplo, teve um drop de peças pessoais vendidas no brechó

Mudança de rumo

No fim da pandemia, Manuela Lima se percebeu com o desejo de mudança. Depois de anos de experiência no brechó de luxo Pretty New, principalmente na área de marketing, a empresária decidiu se aventurar na atividade própria.

Com uma curadoria exclusiva, a partir de drops de amigas e fashionistas de Brasília, a Não Kero Maix tem crescido no segmento de brechós na cidade. A fundadora deseja criar um espaço no qual o público tenha acesso a peças variadas, desde opções vintage a tendências.

A oportunidade para um público maior conhecer o seu trabalho ocorrerá nos dias 14 e 15 de setembro. O Não Kero Maix faz parte do cronograma de brechós da segunda edição do Metrópoles Fashion & Design Festival, criado por Ilca Maria Estevão. O evento deste ano segue com a proposta de olhar para o que é feito em Brasília, mas com o foco na moda circular.

“Acho que vai ser uma sensação de lançamento oficial do Não Kero Maix. Eu ‘tô’ muito ansiosa, porque eu vou estar com a minha nova identidade visual, além de um estoque muito legal de peças. Estou muito feliz”, finaliza Manuela. Ao todo, 15 brechós da capital apresentarão seu acervo para o público no evento.

Na imagem com cor, mulher negra possa de costa com vestido dourado - Metrópoles
O Não Kero Maix é um dos brechós das participantes da segunda edição do MFDF

 

Na imagem com cor, pessoas dentro doMuseu Nacional da Reública
A programação do festival está recheada de surpresas

 

Na imagem com cor, a projeção do Metrópoles Fashion & Design na cúpula do Museu Nacional da Reública
O evento é uma forma de promover a moda cíclica na capital

 

Na imagem com cor, uma pessoa branca mexendo em diversas coisas posicionadas em uma mesa
A inciativa terá diversos atrativos, entre eles, oficinas de moda, experiências musicais e gastronomia

Moda Brasília

A Coluna Moda Fora dos Padrões deu início à série Moda Brasília em 2021. Toda semana, apresentamos marcas, designers e etiquetas locais, a fim de dar ênfase à moda criada no Distrito Federal, no Centro-Oeste.

O objetivo é compilar iniciativas e empresas que atuam em prol da cadeia produtiva regional de maneira criativa, sustentável e inovadora. Os nomes são selecionados de forma independente pela equipe da coluna, a partir de critérios como diferencial de mercado, pioneirismo e ações que valorizem a comunidade.


Veja mais em Metropoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *