Quatro crianças, incluindo um bebê de 11 meses, foram encontrados após um acidente aéreo na floresta amazônica da Colômbia, que deixou três mortos. O governo informou nesta quinta-feira (18) que os irmãos estão em uma aldeia indígena em mata fechada. As buscas pelos sobreviventes durou 17 dias.

Astrid Cáceres, diretora do Instituto de Bem-Estar Familiar, agência do governo responsável por crianças e que coordena a operação de resgate, foi a porta-voz da notícia. As crianças se encontram em uma aldeia indígena local, enquanto militares já estão a caminho do grupo.

Astrid esclareceu sobre as buscas após uma confusão nesta quarta-feira (17), quando o presidente da Colômbia, Gustavo Petro, fez uma declaração no Twitter. “Depois de árduos esforços de busca de nossas forças armadas, encontramos com vida as quatro crianças desaparecidas na queda do avião. Uma alegria para o país”, escreveu ele.

Continua depois da Publicidade

No entanto, as Forças Armadas ressaltaram na ocasião, que ainda não tinham feito contato direto com as crianças. Os militares informaram que já haviam apenas identificado sinais de que o bebê e as crianças, com idade entre 4 e 13 anos, estavam vivas. Eles se basearam em pistas como objetos, pedaços de frutas na área do acidente e relatos de moradores próximos da queda.

As buscas foram dificultadas pelo local do acidente. Os envolvidos na “Operação Esperança” demoraram cerca de nove horas de navegação pelo rio para conseguir chegar até a região em que a aeronave caiu. Depois, os profissionais encontraram “árvores de 30 e 40 metros” e áreas de lama com “raízes imensas”. 

A Força Aérea chegou a sobrevoar a mata densa com um alto-falante reproduzindo uma mensagem gravada na língua huitoto pela avó dos irmãos. No áudio, ela pedia aos netos para que não avançassem pela mata e avisou que estavam procurando por eles. Na terça-feira (16), soldados e indígenas encontraram objetos dos passageiros e uma fruta mordida, um sinal de esperança de que eles estavam vivos.

Objetos encontrados ao longo das buscas davam esperança à equipe. (Foto: Fuerzas Militares de Colombia)

O acidente

Em 1º de maio, o avião decolou de Araracuara em direção a San José del Guaviare, uma das principais cidades da Amazônia colombiana, a cerca de 390 km de Bogotá, quando sumiu dos radares. De acordo com a Defesa Civil, antes do acidente acontecer o piloto reportou que estava com problemas no motor da aeronave.

O acidente resultou na morte da mãe das crianças, Magdalena Macutury Valencia, do piloto Hernando Murcia Moreles e da co-piloto Herman Mendonza Hernández.

Siga a Hugo Gloss no Google News e acompanhe nossos destaques



Veja mais em HugoGloss

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *