Apenas alguns dias após comemorar os 24 anos da sua gravadora Noise Music, com um showcase que rolou no histórico Deputamadre Club, em Belo Horizonte, Anderson Noise agora presenteia os fãs de Techno com um novo EP, este assinado por uma label bem conhecida em seu catálogo: a D-Edge Records Black, braço da gravadora D-Edge que é essencialmente voltada para releases de Techno.

COVER STORY | Eagles & Butterflies: da paixão pelos hardwares e sintetizadores aos estúdios e as pistas de dança

Batizado de Black Spaceships, o EP conta com duas faixas originais repletas de
potência e bastante hipnóticas, com sintetizadores em evidência e um conjunto
de elementos que de fato nos faz parecer dentro de uma nave espacial.

“Eu amo trabalhar com todas as ferramentas nativas do Ableton Live, a minha preferida é sempre o “Wavetable” e me surpreendo com o resultado das sonoridades. No entanto, também utilizo alguns plugins de terceiros, como o Serum e o Massive, para criar timbres únicos e experimentar novas texturas sonoras”, conta Noise.

O artista tem uma rotina bastante agitada, mas sempre tenta encontrar tempo para não deixar a produção musical de lado.

“Não tenho rotina no estúdio por conta das várias atividades que faço ao redor da minha carreira. Pra ser sincero, já comecei várias músicas no avião e daí levei para o estúdio. Mas, em geral, prefiro produzir durante o período da tarde e noite, acho que é importante estar em um estado mental propício à criação”.

Read Next | ‘Save Me’ mostra o futuro do nu-disco brasileiro com Elekfantz e Marsellie

Vale lembrar que este é o segundo EP de Anderson Noise pela D-Edge Records Black; em 2020, ele apresentou Chamaleon, com quatro faixas originais.

Já pela label principal do D-Edge, Noise apareceu em duas ocasiões, primeiro em 2014, remixando “Fetisshu”, faixa do álbum Black Belt de Renato Ratier, e novamente no início deste ano com o EP Quartel, em colaboração com Cesare vs Disorder.

“A minha parceria com a D-Edge Records se desenvolveu a partir de uma forte afinidade com a marca do clube, que representa um marco importante na minha carreira e onde tive a oportunidade de tocar diversas vezes nos meus 35 anos de trajetória na música eletrônica.

A colaboração com Renato Ratier, que em breve completa três décadas, iniciou em 1996 ou 1997, quando fui convidado para tocar em uma das festas dele em Campo Grande. Desde então, construímos uma amizade sólida e colaborativa, sempre apoiando um ao outro.

Acredito que tudo isto é resultado da nossa admiração mútua. Agora o destaque maior fica para quando um quer tirar sarro com a cara do outro (risos)”, finaliza.

Ouça Black Spaceships agora:

Follow Anderson Noise on Instagram, Facebook & Soundcloud

Read Next | De passagem pelo Brasil, Rod B. comentou sobre carreira e shows no Ultra em Miami e no Brasil

Load the next article


Veja mais em Mixmag

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *